Pesquisa e Remarketing: Como usar para divulgar sua loja virtual

    AdWords é o sistema do Google onde empresas que querem anunciar seus produtos inserem publicidade nos resultados do mecanismo de busca e em sites de parceiros do Google através do AdSense, que por sua vez é uma rede de parceiros que possuem espaço disponível no site voltado para o anúncio de terceiros.  

    Os anúncios do Google AdWords funcionam em um sistema de leilão, ou seja, várias empresas disputam a aparição tanto no mecanismo de busca, quanto em sites de parceiros do Google. Cada pretenso anunciante apresenta um lance para determinados temas de busca. O Google confere todas as apostas e seleciona os anúncios que aparecerão em seus sites parceiros e nas buscas feitas no próprio Google.

    A escolha da empresa “vencedora” é dada pelo valor do lance e pela relevância do site aos olhos do Google (por isso é interessante manter seu site sempre otimizado para o Google e para o usuário). A classificação dos anúncios acontece pelo ranking do Google, o AdRank. O AdRank define os anúncios a serem exibidos com base em questões como a qualidade do anúncio versus lance no leilão de palavras-chave.  

    A pontuação que define a qualidade do anúncio nada mais é que uma métrica criada pelo Google para mensurar os fatores de relevância e qualidade de cada um dos anúncios. Isso significa que os anúncios com muitos pontos de qualidade e muito relevantes para o usuário podem ser pagos por um valor menor do que o lance dado pela empresa – então é importante entender que o valor pode ser variável, tudo depende da qualidade dos anúncios da sua empresa. Um dos benefícios dos links patrocinados é que, ao contrário da mídia tradicional, é possível fazer testes em tempo menor, controlar de forma mais próxima os resultados das campanhas e melhorar sempre que necessário os anúncios para que, ao fim da campanha, seus resultados sejam os melhores, sem falar no custo que é mais baixo. 

    Dentro deste contexto, existem duas campanhas bastante interessantes.  

Pesquisa:  Consegue trazer o usuário no exato momento em que ele está buscando um produto. São quatro tipos de palavras-chave a serem trabalhadas, por isso esta escolha deve ser precisa. O primeiro tipo é a palavra ´compra´. Alguns exemplos: comprar tinta de cabelo ou comprar tênis, ou seja, a indicação de que a pessoa está querendo adquirir algo. O segundo tipo de palavra traz dúvida. Na comparação de um produto: qual produto é melhor – x ou y?

    Já é um segundo momento, a pessoa decidiu que quer comprar, está em dúvida sobre qual produto adquirir. Este tipo de palavra é bem importante, porque como está próximo do funil, você consegue impactar esse potencial cliente por meio do remarketing ou com conteúdo e convencê-lo a comprar o seu produto. O terceiro tipo é a palavra de marca: se você tem um produto ou uma marca conhecida e as pessoas buscam por isso, é necessário fazer uma campanha pra isso, até mesmo porque a taxa de conversão é maior para produtos ou marcas já conhecidos, já testados. Um quarto tipo de palavra é a relacionada ao nome do produto: o consumidor já conhece e quer localizar este produto específico.

Importante: nem todas as empresas vão permitir que sejam utilizados os nomes dos produtos para divulgação. Mas se a página estiver bem estruturada e com o nome dos artigos à venda de forma visível, já vale. Um quinto tipo de palavra é a palavra genérica: loja virtual de calçados, não informa se vende tênis, sapatos sociais ou sapatilhas. A recomendação é utilizar este tipo de palavra somente para orçamentos maiores, com várias campanhas já estruturadas e apenas com o objetivo de expandir o alcance.

Remarketing:  Possibilidade de criar campanhas de marketing específicas para pessoas que já estiveram em seu site, mas abandonaram a página por algum motivo. O Remarketing cria campanhas para tentar fazer esse usuário retornar ao site, graças a um código instalado em todas as páginas do seu site, e que funciona como cookie.

    Dessa forma é possível traçar quais usuários estiveram no seu site através da página de audiência disponível na sua conta do Adwords. Quantas vezes você já não entrou em uma loja virtual, viu determinado produto, mas não efetuou a compra e saiu da página? Durante a navegação em outros sites, o anúncio do mesmo produto visto anteriormente, aparece novamente para você. Lembrou?

    Pois é, isso é Remarketing. Depois disso, é possível criar uma lista de Remarketing. Muitas lojas pecam ao fazer um Remarketing genérico. O ideal é listar categorias, criar listas de Remarketing para cada categoria. Imagine que você vende produtos para cabelo.

    O usuário entra no seu site e clica em um produto para cabelo ressecado. A loja faz um Remarketing genérico e apresenta a este usuário, um anúncio para cabelos oleosos: trabalho desperdiçado e seu anúncio perde relevância. Segmentar por categoria, impactar o potencial comprador com anúncios que sejam relacionados ao que ele buscou e negativar os canais dentro do Remarketing que não são interessantes para o aparecimento da marca: notícias de tragédias, de conflitos militares, páginas que exibam nudez ou conteúdo para maiores de 18 anos, são exemplos que devem ser evitados. Isso pega mal para a marca e gera perda de pontos junto ao consumidor.

    Tudo isso aliado à criação de anúncios interessantes e criativos fazem a receita de sucesso destas campanhas.

Pesquisa e Remarketing: Como usar para divulgar sua loja virtual
–– compartilhar